Nóis num have.
Se nóis havasse nóis num tava aqui cobrando.
Mas nóis precisa de cobrar.

MOMENTO  APESAR DA CRISE~

Olá pimpolhos. Esse post aqui é o mais chato de todos os posts que podemos fazer sobre a Trifon: falar sobre valores. Normalmente não fazemos um post só pra isso, mas dessa vez se fez necessário. O motivo? Vai subir.

Antes de mais nada, é sempre importante lembrar (ou avisar, caso você nunca tenha jogado a Trifon): ninguém lucra um centavo com a organização dela. Todo o dinheiro que sobra é reinvestido na edição seguinte, como se fosse um subsídio, para manter o valor de inscrição o menor possível.

Isso não aconteceu muitas vezes porque, na verdade, não é raro termos prejuízo e alguém da organização ter que botar a mão no próprio bolso para cobrir uma treta de última hora. Na edição anterior, por exemplo, compramos carne em regime de urgência para encerrarmos o regime involuntário ao qual estávamos expondo todos vocês.

Sempre nos esforçamos ao máximo para conseguir o menor valor de inscrição possível de acordo com o que precisamos para fazer um campeonato legal. Buscamos o meio-termo entre um serviço bom e o preço cobrado por ele. Cotamos carne, churrasqueiro, medalhas e troféus. Negociamos quadra e uniforme com a tenacidade de um Alexandre Mattos.

Toda edição traz um aumento em relação à anterior porque o preço das coisas nunca é o mesmo, por causa da inflação ou mesmo reajustes dos próprios estabelecimentos. Desta vez, ele será um pouco maior que o habitual. O valor mínimo aceitável ao qual conseguimos chegar para fazer a Trifon que conhecemos é de R$ 100.

Esse valor se explica por:

  • Temos que cobrir prejuízos da edição anterior,
  • Introduzimos um pequeno respiro na esperança de nunca mais termos que cobrir prejuízos da edição anterior.
  • A quadra que tanto amamos é mais cara, e na outra edição, foi subsidiada com o restinho do terceiro campeonato. E vale o esforço porque ficamos sozinhos, mais confortáveis e, principalmente, com menos riscos de acontecerem roubos, como na última edição no finado Playball
  • A carne está um pouquinho mais cara.
  • E a situação econômica do país, apesar da crise, não é aquela maravilha.

 

Esperamos de verdade que vocês compreendam a situação e nos vemos dia 17 de outubro

Nós amamos vocês.

Bejo.